Jason Rebello

25 Julho, 2015 – Parque Aquilino Ribeiro

Concerto
Duração: 1h15 aprox.
Com: Jason Rebello (Teclas), Joy Rose (Voz) James Morgan (Baixo), George Rebello (Bateria)
O aclamado pianista britânico Jason Rebello, que ao longo da sua carreira já fez parte da banda de Sting e Jeff Beck, e trabalhou com outros importantes nomes do panorama mundial como Peter Gabriel, Phil Collins, Manu Katche e Joss Stone, apresenta-se pela primeira vez em Viseu. O concerto tem como base o seu reportório original, especialmente dois álbuns: Make it Real de 1994 e Anything But Look de 2013.
Em Make it Real, podemos encontrar uma fusão de jazz e sons urbanos, com a mestria ao piano já reconhecida de Jason Rebello.

Já em Anything but Look, o seu primeiro álbum de Jazz a solo em 14 anos, encontra-se um novo mundo musical, um reflexo caleidoscópico inspirado no percurso do músico até à data. Para além da companhia de Joy Rose (Incognito), na voz, e James Morgan, no baixo, Jason Rebello faz-se também acompanhar pelo seu filho George Rebello, um promissor talento na bateria de apenas 16 anos.

JASON REBELLO

Aos 19 anos já era considerado um veterano pela crítica e na década que se seguiu o pianista britânico Jason Rebello só veio confirmar o seu talento ganhando grande parte dos principais prémios de jazz do seu país.

Em 1992, o seu talento e uma mão-cheia de simpatia valeram-lhe a oportunidade de participar em vários projetos nos media, incluindo Artrageous (BBC 2), programa que apresentou.

No ano seguinte, opta por publicar o seu segundo álbum, Keeping Time, muito bem recebido pelo público, a obra contou com a participação de vários amigos, incluindo a diva do soul Jocelin Brown e Marianne Jean-Baptiste.

A digressão pela Europa terminou já outro álbum se preparava para ser lançado Make It Real (1994) explora uma sonoridade diferente e conta com vários talentos vocais como Maysa Leak, Joy Rose e Cleveland Watkiss. Esta obra levou Jason Rebello em nova aventura pelo Reino Unido, onde esgotou todas as salas em que tocava e por dezenas de festivais na Europa e até no Brasil. Da sua parceria com Joy Rose, nasceria outro álbum, desta vez apenas com piano e voz.

Jason, mesmo no meio de digressões, conseguiu escavar tempo no seu horário para colaborar com vários artistas como Bud Shank, Wayne Shorter, Gary Burton, Branford Marsallis, Tommy Smith, Jean Toussaint, Desree, Mica Paris, Carleen Anderson e Omar. Bem como dar vários concertos de música classica com a Nice Symphony Orchestra e a Halle Orchestra.

Em 1998, Jason é convidado por Sting para ser pianista na sua banda. Aceita e no ano seguinte Sting grava o álbum Brand New Day (1999) arrecadando um Grammy. Durante seis anos, Rebello viajou pelo mundo como parte da banda e em Setembro 2001, Jason grava ao vivo o DVD e CD All This Time at Sting’s Home.

Através de Sting, Jason conhece o lendário guitarrista Jeff Beck que o recruta para a sua banda. Com ele passa outros seis anos em digressão pelo mundo, desta vez conhecendo melhor o mundo do rock. Em 2010, trabalha com Beck no álbum Emotion and Commition e co-escreve o single Hammerhead que vence um Grammy para Best Rock Instrumental Perfomance.

A sua habilidade, diversidade e facilidade de adaptação permitiram a Jason trabalhar com um largo espectro de artistas tais como Peter Gabriel, Phil Collins, Pee Wee Ellis, Joss Stone, Madeline Peyroux, Manu Katche e, mais recentemente, Charlene Soraia.

Jason Rebello continua a ensinar em várias escolas e colégios de música, incluindo o The Guildhall School of Music e Bath Spa University. Também ajudou a construir a Jazz Factory, no Wiltshire Music Center.