O Festival de Jazz de Viseu


POR.
QUE JAZZ É ESTE? É a sexta edição do Festival de Jazz de Viseu e a décima do Workshop de Jazz. Regozijem-se os deuses e os mortais, e os outros entre tais, pois partilhamos convosco a excitação de mais uma vez celebrar este encontro de música, cultura e pessoas, mergulhados prazerosamente no privilégio de testemunhar e balançar ao som destas bandas e músicos que em palco colocam a nú a sua alma.
Assim é verdade, o groove que se vive não pode deixar ninguém indiferente. Esta é provavelmente a melhor edição deste festival até à data, com a presença de inacreditáveis músicos nacionais e exclusivos músicos internacionais.
A energia do festival está concentrada no Parque Aquilino Ribeiro, mas não só. Com uma tendência cada vez mais acentuada na diversidade que é o jazz, um género onde muito cabe, como o rock, o afro-beat, o hip-hop, a música étnica, mas também na presença de outros estilos musicais, os vários palcos existentes acolhem indiferentemente as várias nacionalidades e demais características dos grupos. É de destacar a presença do rapper e saxofonista Soweto Kinch e ainda o baixista Etienne Mbappé, um nome cuja fusão dos ritmos dos Camarões com o jazz provoca espasmos involuntários no corpo. Omar Lye-Fook, Cacique’97, Richard Spaven, The Nada e Javier Subatin feat. João Paulo Esteves da Silva compõem ainda o cartaz do festival, entre outros.
Na continuação da cumplicidade com o Musiquim contamos com a presença de S. Pedro, Gonçalo, Francisco Sales e Mano a Mano. Fica também o nosso orgulhoso destaque para o concerto do Sócrates Bôrras trio feat. Carlos Bica, emocionante que é pelo encontro entre gerações que impulsiona.

ENG.
QUE JAZZ É ESTE? (What Jazz Is This?) It is the sixth edition of the Jazz Festival of Viseu and the tenth of the Jazz Workshop. Let the gods and mortals rejoice, and the others among them, for we share with you the excitement of celebrating, once again, this gathering of music, culture and people, plunged pleasantly into the privilege of witnessing and swaying to the sound of these bands and musicians who bare their souls in stage.
That’s right, the groove one lives on cannot leave anyone indifferent. This is probably the best edition of this festival to date, with the presence of unbelievable national musicians and exclusive international musicians.
The energy of the festival is concentrated in Aquilino Ribeiro Park, but not only. With a growing tendency in the diversity that is the jazz, a genre where much fits, like the rock, Afro-beat, hip-hop, the ethnic music, but also in the presence of other musical styles, the several stages host the various nationalities and the distinct characteristics of the groups.
It is worth mentioning the presence of the rapper and saxophonist Soweto Kinch and bassist Etienne Mbappé, a name whose fusion of Cameroon’s rhythms with jazz causes involuntary spasms in the body. Omar Lye-Fook, Cacique’97, Richard Spaven, The Nada and Javier Subatin feat. João Paulo Esteves da Silva also compose the program of the festival, among others. In the continuation of the complicity with Musiquim we expect the presence of S. Pedro, Gonçalo, Francisco Sales and Mano a Mano. We also proudly highlight Socrates Bôrras trio feat. Carlos Bica’s concert, exciting for the intergenerational encounter that it promotes.