Sócrates Bôrras Quarteto + Jam Session

19 Julho, 2017 – 23h30
// Carmo’81

Concerto: Jazz.
Duração: 45 min. aprox.
Com: Sócrates Bôrras (saxofone). José Diogo Martins (piano), João Fragoso (contrabaixo), Miguel Rodrigues (bateria).

Sócrates Bôrras Quarteto, grupo que arrecadou o 2.º prémio da edição de 2016 do prestigiado concurso Jovens Músicos (categoria Jazz Ensemble), é liderado pelo músico saxofonista Sócrates Bôrras, que é acompanhado por José Diogo Martins, no piano, João Fragoso, no contrabaixo e Miguel Rodrigues, na bateria.
Este coletivo tem como principais influências os grupos liderados por músicos que marcaram a tradição do Jazz, como o Miles Davis, o John Coltrane e também músicos que romperam a mesma tradição, Ornette Coleman, Eric Dolphy. Sócrates Bôrras Quarteto segue o caminho do jazz moderno, no qual se pode tocar com liberdade. Não representa um corte da tradição mas sim a radicalização dela, levando-a até aos limites.

SÓCRATES BÔRRAS

Sócrates Bôrras iniciou os seus estudos na Escola de Artes da Bairrada aos 7 anos, começando a tocar saxofone aos 8. Obteve, entre outros, o 1.º Prémio no 1.º Concurso de Música Terras de La Salette , e no I Concurso Carlos Marques na Escola de Artes da Bairrada (2006). Obteve o 1.º Prémio no 2.º Concurso de Terras de La Salette, categoria A, (2007). Participou no VI Estágio da Banda Sinfónica da Bairrada em 2007, orientado pelo maestro Lorenzo Della Fonte. Participou no Masterclass de Jazz, e num Workshop orientado pelo Quarteto de Saxofones de Amesterdão (2007); no II Workshop de Jazz / Improvisação, orientado por João Martins e Óscar Graça (2007. Participou na primeira e segunda edição do SaxFest, em Aveiro (2008/2009); obteve o 1.º Prémio do 3.º Concurso Carlos Marques na Escola de Artes da Bairrada (2008). Participou no projecto «Férias com Jazz» no Centro Cultural de Belém em 2008. Obteve ainda o 1.º Prémio no 2.º Concurso Nacional de Música de Terras La salette (2009). Participou no Masterclass de Jazz e no concurso do 3.º Festival Internacional de Saxofone de Palmela (2009), onde alcançou o segundo prémio. Obteve o 1.º Prémio no 4.º concurso Carlos Marques na Escola de Artes da Bairrada (2009). Participou no Concurso Prémios Honoríficos “David Russell”, em Vigo, obtendo o Prémio Infantil (2010). Fez parte de uma Big Band do Hot Club de Lisboa, durante 2010/2011. Participou no programa Portugal Tem Talento, onde chegou a duas semifinais, e no programa Globos de Ouro da Sic. Foi convidado para tocar com músicos como James Morrison, José Cid e na apresentação do novo CD da banda Os Azeitonas​ ​no Coliseu do Porto e de Lisboa.
Frequentou um curso profissional de Jazz, saxofone, durante três anos na Escola Profissional em Albergaria-a-Velha, onde concluiu o 12.º ano com 17 valores. Participou com a sua escola no Concurso de Jazz, no Teatro de S. Luís, em Lisboa e foram agraciados com o primeiro lugar. Entrou para a Escola Superior de Música de Lisboa no ano letivo, 2014/2015, terminando o 1.º ano com média de 17 valores.
No ano letivo 2015/2016, frequentou o 2.º ano no Conservatório Nacional Superior de Música e Dança de Paris, ao abrigo do programa Erasmus.

JOSÉ DIOGO MARTINS

José Diogo Martins é natural de Braga e iniciou os seus estudos musicais aos 5 anos de idade no conservatório de música Calouste Gulbenkian de Braga, sob orientação da professora Ivete Rebelo com quem acabaria por terminar o 8.º grau com 20 valores no recital final e 19 valores como nota final de piano.
Ao terminar o conservatório em 2012, foram-lhe atribuídos três prémios de mérito: académico, musical e artístico, relativos à média superior a 17 valores nas disciplinas não musicais, teóricas de música e performativas.
Em 2013 prossegue os seus estudos musicais na Universidade do Minho, no curso de música, vertente de piano sob a orientação de Luís Pipa. Ao mesmo tempo que acaba o 1º ano da faculdade com 19 valores é aceite em primeiro lugar como aluno de Piano Jazz na Escola Superior de Música de Lisboa onde conclui a licenciatura em 2016.
Participou em vários concursos como o da Academia Santa Cecília (terceiro prémio), concurso interno do conservatório de música Calouste Gulbenkian obtendo por duas vezes o segundo prémio, Prémio Jovens Músicos (categoria ensemble de jazz) arrecadando o segundo prémio.
Em 2017 é convidado para gravar o álbum da 2.ª Edição do prémio de composição Bernardo Sassetti.
Atualmente José Diogo é pianista freelancer e professor de piano na Escola de música da Portela.

JOÃO FRAGOSO

João Fragoso nasceu em 1995 em Coimbra, Portugal, onde começou os seus estudos musicais aos 13 anos de idade.
Em 2012 ingressou na ESML-Escola Superior de Música de Lisboa, no curso de Música-variante Jazz, no ramo de Contrabaixo. Aqui estudou com Nelson Cascais, Bernardo Moreira, Afonso Pais, Pedro Moreira, entre outros.
Nos anos de 2012 e 2014 representou, respectivamente a Associação Sítio de sons e a ESML, na festa do jazz do teatro S. Luiz.
Em 2016 integrou o grupo Socrates Bôrras Quarteto, que obteve o 2.º lugar no Prémio Jovens Músicos​.
​Está hoje em dia sob a tutoria de Alejandro Elrich Oliva.
Teve já oportunidade de tocar com: João Moreira, Jeffery Davis, Oscar Marcelino da Graça, Gonçalo Marques, André Fernandes, entre outros.

MIGUEL RODRIGUES

Miguel Rodrigues nasceu em Viseu em 1994 e desde muito cedo entrou em contacto com a música através dos seus familiares.
Em 2014 concluiu o Curso Profissional de Instrumentista Jazz, (nível IV), no Conservatório de Música da Jobra estudando neste âmbito com Marcos Cavaleiro, Mário Costa, Demian Cabaud, Paulo Perfeito, Jesus Santandreu, Voro Garcia, Abe Rabade, João Martins, André Fernandes, entre outros.
Integrou o combo vencedor do concurso de escolas não superiores da 11.ª Festa do Jazz do S. Luiz e o grupo, liderado pelo saxofonista Sócrates Bôrras, que arrecadou o 2.º lugar do Prémio Jovens Músicos em 2016.
Já teve oportunidade de tocar com Ana Bento, Bruno Pinto, Bruno Macedo, Demian Cabaud, Diogo Santos, João Martins, Joaquim Rodrigues, Manuela Panizzo, Miguel Ângelo, Miguel Araújo, Paulo Perfeito, Xosé Miguelez, entre outros.
É um baterista freelancer e professor na Escola Gira Sol Azul em Viseu​.

Jam Session #2

Pela segunda noite consecutiva a “improvisação” fecha uma dia cheio de jazz. Convidando qualquer músico presente a subir ao palco e a criar com os restantes, da liberdade que o jazz permite surgem momentos magníficos e irrepetíveis.