Soweto Kinch Trio

26 de Julho, 2019 – 21h30
• Parque Aquilino Ribeiro (Palco Aquilino Ribeiro)

Concerto: Jazz, Hip-hop.
Duração: 90 min. aprox.
Com: Soweto Kinch (Saxofone, Voz, Teclado/programming); Will Glaser (Bateria); Nick Jurd (Baixo)
Tag: Jazz, Hip-hop.
Duration: 90 min. aprox.
With: Soweto Kinch (Saxophone, Vocals, Keys/programming); Will Glaser (Drums); Nick Jurd (Double bass)

POR
Saxofonista e rapper, Kinch tem causado ondas tanto na cena jazz como na cena hip-hop. É um dos poucos artistas a atuar nestes géneros formado pela Universidade de Oxford em História Moderna e ao longo do seu percurso tem conseguido reunir uma lista impressionante de prémios, incluindo uma nomeação para a Mercury Music Prize, dois UMA Awards e dois MOBO Awards para Melhor Espetáculo de Jazz. “Nonagram”, o seu mais recente álbum, é uma exploração da matemática, geometria e sons. Sobre ele o artista escreve “Numa época em que as palavras, ciência e religião são frequentemente usadas para dividir as pessoas, fui inspirado pelos vários aspetos sonoros e numéricos da música que transcendem as diferenças culturais. (…) parte da inspiração está em injetar um antídoto musical que, ao invés de nos separar, nos ajude a ter novas visões sobre o mundo que nos rodeia.”

ENG
Saxophonist and rapper Kinch has made huge impression in both the jazz and hip-hop scene. Undoubtedly one of the few artists in either genre with a degree in Modern History from Oxford University, he has amassed an impressive list of awards, including a Mercury Music Prize nomination, two UMA Awards and two MOBO awards for Best Jazz Act. Nonagram is an exploration of maths, geometry and sound which in his words, ‘injects a musical antidote, inspiring us to see new visions of the surrounding world.’

SOWETO KINCH

Saxofonista multi-premiado e rapper, Soweto Kinch é um dos mais entusiasmantes e versáteis jovens músicos tanto na cena jazz como na cena hip-hop. É um dos poucos artistas a atuar nestes géneros formado pela Universidade de Oxford em História Moderna e ao longo do seu percurso tem consigo reunir uma lista impressionante de prémios, incluindo uma nomeação para a Mercury Music Prize, dois UMA Awards e dois MOBO Awards para Melhor Espetáculo de Jazz.

O seu talento enquanto rapper e produtor têm-lhe trazido reconhecimento no universo da música urbana: tendo apoiado músicos como KRS ONE, Dwele e TY, e sendo louvado por outros talentos como Mos Def, Rodney P e Twin B.

Os projetos de Kinch vão para lá da gravação de alguns álbuns. Em 2010, escreveu a trilha musical para o teatro de hip hop de Jonzi D, “Markus the Sadist”. No mesmo ano, escreveu e atou na peça “In The Further Soil”, dirigida por Sampad e que esteve em tour durante mais de um mês na Índia.

Em 2011, integrou um reality show com Goldie, Guy Chamber e Ms Dynamite enquanto treinador de um grupo de 12 jovens, ensinando-os e treinando-os numa descoberta musical a caminho da sua primeira performance ao vivo diante o Principe Harry, no Palácio Buckingham. Kinch, descreveu como o programa lhe permitiu desenvolver as suas capacidades de curador e mentor “foi uma abordagem fresca à descoberta de novos talentos e a forma de o fazer crescer, quase como um antídoto para com a fórmula pop típica de fabricar música.”

Como um dos seus projetos favoritos, Kinch tem o “The Flyover Show”. Trata-se de um festival de apenas um dia, já com mais de uma década de existência, que promove a música e as artes num local muito pouco comum: debaixo de um viaduto. em Birmingham. Nesta festa celebram-se tema como os ícones negros que têm vindo a redefinir a cena musical inglesa e por lá passaram nomes tão diferentes como Goldie, Akala e Omar. O crescimento deste festival é ainda mais incrível se tivermos em conta como tem levado a atenção para um canto esquecido da cidade com concertos de Bashy, Ms Dynamite, Janet Kay, Ty, Speech Debelle e Jonzi D, entre outros.

“It’s a clever and entertaining juxtaposition of idioms that kicks pure Jazz and authentic rap into a brave new world.” (The Guardian)

“Mr Kinch demonstrates what England has to teach [the USA] about narrative Hip-Hop. Don’t sleep on Mr Kinch” (The New York Times)

Award winning alto-saxophonist and MC Soweto Kinch is one of the most exciting and versatile musicians in both the British jazz and hip hop scenes. Undoubtedly, one of the few artists in either genre with a degree in Modern History from Oxford University, he has amassed an impressive list of accolades and awards on both sides of the Atlantic – including two MOBO Awards for Best Jazz Act (2003, 2007), and Mercury Prize Nomination for Album of the Year (2003). Most recently, Kinch has extended his work in music media becoming the main presenter for BBC Radio 3’s Jazz Now, and fronting BBC Four documentary Jazzology (2018).

His skills as a hip hop MC and producer have further garnered him recognition in the urban music world: having supported the likes of KRS ONE, and being championed by the likes of Rodney P and BBC 1-Xtra’s Twin B. He’s collaborated with Speech Debelle, Lady Leshurr and worked with Stormzy for BBC Radio 1’s Live Lounge.

With an impressive discography that has covered a wide range of themes from the Seven Deadly Sins, sacred geometry and slavery/emancipation – Soweto’s music has seen him tour extensively around the world with his own ensembles as well as forging lasting collaborations from the US, India to Australia and Sudan to Brazil.

In 2013, Kinch presented a stage performance of his concept album The Legend of the Mike Smith at Birmingham Repertory Theatre – which toured at The Belgrade Theatre (Coventry), The Albany (Deptford), Banlieux Bleues (Paris), and Chat’s Palace (Hackney). Inspired by Dante’s Divine Comedy and directed by Jonzi D it tells the story of a young MC, Mike Smith, confronted with a range of contemporary temptations – melding spoken word, dance, jazz and hip hop it’s a dynamic commentary on a world of consumerism and the music industry.

Kinch has also composed extensively for a number of theatre and dance productions, including Roy Williams’ adaptation of Absolute Beginners at the Hammersmith Lyric, and Kwame Kwei-Armah’s Statement of Regret at The National Theatre (2007), Jonzi D’s Marcus Da Sadist (2010) and Ivan Blackstock’s A Harlem Dream at The Young Vic (2014).

MAIS * MORE

www.soweto-kinch.com
Facebook
Spotify

VÍDEO * VIDEO